Steiner

“Nenhum corte momentâneo, nenhuma quantidade de tecido retirada do processo linguistico pode representar ou garantir uma delimitação de todas as formas e possibilidades intrínsecas. um modelo da linguagem é apenas um modelo. é um mapeamento idealizado, não um todo vivo”. (STEINER, G. Depois de Babel. Curitiba: Editora da UFPR, 2005, p. 139)